Em 1600, as crianças da Islândia ouviam falar pela primeira vez sobre uma mulher chamada Grýla.

Ela era medonha: tinha cascos, chifres e 15 rabos, além de enormes verrugas no seu nariz. Era uma mulher enorme, metade ogro e metade troll, que vivia nas montanhas com seu velho marido, 13 filhos (os Yule Lads – rapazes do natal, em tradução livre) e um gigante gato preto. Suas histórias eram usadas para assustar crianças malcriadas.

Grýla não era diretamente ligada ao Natal até o século 17. A princípio, Grýla e seus filhos atacavam o ano inteiro. A mãe mandava os Yule Lads (que tinham nomes como Spoon Licker, Window Pepper e Meat Hook) para a cidade, onde eles sequestravam crianças desobedientes e as levavam para fazer ensopado. As lendas dizem que esse era seu prato favorito e seu apetite era insaciável. Mas, em 1746, as crianças islandesas estavam com tanto medo de ser devoradas que não saiam mais de casa. O governo interveio e proibiu a utilização de Grýla como tática de intimidação.

Desde então, Grýla passou a agir apenas na época de Natal. Ela e seus filhos descem das montanhas 13 dias antes do Natal: Grýla procura crianças malcriadas para devorar e os rapazes roubam comida, pregam peças e, inexplicavelmente, deixam presentes nos sapatos das crianças. Aliás, esta é a única época do ano em que seu gato se alimenta. É dito que ele espera que as crianças desembrulhem seus presentes e come aquelas que não recebem, ao menos, uma peça de roupa.

A Ogressa do Natal

Grýla tem a capacidade de detectar as crianças que se comportanram mal durante o ano. Conforme o Natal se aproxima, Grýla sai à procura dessas crianças e as captura para serem devoradas mais tarde. Dizem que seu prato favorito é um guisado feito com crianças impertinentes. Dizem também que seu apetite é insaciável. De acordo com as lendas, nunca faltou comida para ela.

grýla natal

Segundo o folclore, Grýla foi casada três vezes. Seus dois primeiros maridos eram Gustur e Boli – desagradáveis e preguiçosos. Eles não saíam das suas camas para nada e dependiam da Ogressa para tudo. Seu terceiro marido, Leppalúði, vive com ela em sua caverna nos campos de lava de Dimmuborgir, com o grande gato preto Yule (outro monstro natalino) e seus filhos, Yule Lads. Uma criadora prolífica, Grýla teve, pelo menos, 72 filhos, dos quais nem todos são Yule Lads. Das crianças que não são, os mais conhecidos são: Leppur, Skreppur, Langleggur e Leidindaskjóda.

Na Cultura Popular

A Lenda Urbana de Grýla já apareceu em muitas histórias, poemas, canções e peças teatrais na Islândia. Inclusive, ela foi citada em um artigo no The Onion, como sendo a causa das erupções do vulcão
Eyjafjallajökull em 2010.

E então, você foi obediente este ano?


Deixe um comentário Sombrio pra gente...

error: Conteúdo Protegido!
%d blogueiros gostam disto: