Segundo a lenda, o “Corpo-Seco” teria sido em vida um homem que brigava muito e espancava a própria mãe.

Devido a incrível maldade que havia dentro dele, assim que morreu, virou uma criatura maligna que costuma ficar camuflada nos troncos das árvores só a espera de alguma criança malcriada que passasse distraída perto dele.

Dizem que apesar de sua maldade, o Corpo-Seco, que também é conhecido como Unhudo, teria se arrependido de ter maltratado a mãe e, por essa razão, ele pune todas as crianças que demonstrem teimosia ou que respondam para suas mães. Talvez tivesse vindo daí o ditado popular que diz:

Quem bate na mãe fica com a mão seca

Um pouco da Lenda

Existe também outra teoria sobre a origem do Corpo-Seco que diz que ele teria sido, em vida, um homem muito egoísta e mesquinho, que cultivava uma variedade enorme de frutas e grãos em sua fazenda.

Mas após uma época de estiagem, em que diversas pessoas estavam passando fome, conta-se que o fazendeiro se negou a dividir seu grande estoque de mantimentos.

Os populares então se revoltaram e, em meio a briga, o fazendeiro acabou morrendo vítima de um enfarto.

Porém mesmo morto, sua alma não teve descanso.

Sua raiva só aumentou e acabou por se transformar em uma criatura cruel e vingativa.

 

Diz a lenda, que a criatura fica nas matas a espera de qualquer um que cruze seu caminho.

Jamais deixa que outras pessoas se aproximem de árvores frutíferas, as quais ele considera serem sempre de seu antigo pomar.

A lenda do Corpo-Seco está por todo o Brasil, principalmente nos Estados do Amapá, Paraná, Amazonas e Minas Gerais.

Existem ainda alguns países de língua portuguesa que também cultuam essa lenda.

No interior de São Paulo a lenda ganhou um certo toque “vampiresco”.

Dizem que o cadáver fica camuflado em meio a mata caçando pessoas desavisadas.

Quando o infeliz passa ao seu lado, a entidade suga todo o seu sangue transformando-o em um Corpo-Seco também.

Se ninguém passar perto da entidade por muito tempo, ela morre de fome e fica igual à uma árvore seca.

Por essa razão que existem muitas árvores mortas com aspectos humanos.

Outra variação da Lenda

Já em Ituiutaba, Minas Gerais, há uma outra variação da lenda.

Dizem que o corpo de uma mulher enterrada no cemitério municipal, não permanecia no fundo da cova por algumas horas.

Segundo os mesmos, a terra sempre expulsava o corpo pra fora do túmulo.

Era como se a terra não quisesse o corpo da mulher.

Os bombeiros teriam sido chamados e na falta de uma explicação (e de uma solução), os bombeiros levaram o corpo da mulher para uma caverna que fica em uma serra ao sul do município, e deixaram o corpo lá para seu descanso eterno.

Mas, segundo os moradores que ousam andar pela estrada de terra que fica à margem da serra, dá para escutar lamentos e gritos de mulher vindos de dentro da caverna.

A serra onde se encontra a caverna ficou conhecida como a “Serra do Corpo-Seco”.

Serra do Corpo-Seco em Ituiutaba, MG.


Deixe um comentário Sombrio pra gente...

error: Conteúdo Protegido!
%d blogueiros gostam disto: